Luiz Gama:

Luiz Gonzaga Pinto da Gama nasceu em 21 de julho de 1830. Era filho de um fidalgo português e de Luiza Mahin, uma negra livre acusada de se envolver com a Revolta dos Malês, na Bahia – a primeira grande rebelião urbana de escravos da história do Brasil.

Luiz Gama

morou com a mãe em Salvador até os oito anos. Quando a sua mãe, líder rebelde teve que fugir para o Rio de Janeiro, buscando escapar da forte perseguição policial, Luiz foi entregue ao seu pai, jogador compulsivo e afogado em dívidas. Em 1840, aos 10 anos, foi vendido como escravo doméstico pelo próprio pai para pagar uma dívida de jogo. Ele foi transportado da Bahia para o Rio de Janeiro, onde foi vendido ao alferes Antônio Pereira Cardoso e depois passou por diversas cidades de São Paulo até ser levado ao município de Lorena.

Em 1847, quando tinha dezessete anos, Luiz Gama foi alfabetizado pelo estudante Antônio Rodrigues de Araújo, que havia se hospedado na fazenda de Antônio Pereira Cardoso. Aos 18 anos, sabendo ler e escrever, conseguiu provas irrefutáveis da ilegalidade de sua condição, pois era filho de uma mulher livre…

Saiba mais sobre isso ouvindo Luiz Gama.


BAIXAR VERSÃO ZIPADA

download versão zipada


AJUDE O TEMACAST A CRESCER

Patreon

Apoia.se


PARTICIPANTES

FONTES

TRANSCRIÇÃO DO ÁUDIO

Equipe de Transcrição:
Carlos Barbosa – Linkedin
Fernanda Marini – Twitter: @femarini
Karla Michelle Braga –  Facebook
Rafael Rezende – Twitter: @KoreiaPS

Link: Em andamento

 


VITRINE

MÚSICAS DESTE EPISÓDIO
  • João Gilberto – Saudade da Bahia
  • Dorival Caymmi – Acontece que eu sou baiano
  • João Gilberto – Eu vim da Bahia

NOSSA PLAYLIST NO SPOTIFY:

Link


NOSSO GRUPO NO FACEBOOK

Se você quer participar do nosso grupo basta ir AQUI. Participando você poderá sugerir pautas, interagir com outros ouvintes do Temacast, participar de sorteios e saber com antecedência de várias coisas que ocorrerão num futuro breve.


ASSINAR

Feed | iTunes | Android | Email

 


  • Darley Santos

    Vendido pelo próprio pai… uma abominação, principalmente aos olhos de hoje, mas o sistema de então permitia tais coisas né… “Rábula”, não sabia que assim se definia esse tipo de pessoa, bom saber. Ler ou, neste caso, ouvir e escutar sobre Luiz Gama é também uma amostra de como é sobreviver com seus próprios recursos. Ter de lutar, diariamente, por dignidade e respeito.

    • Pois é Darley. Ser vendido pelo próprio pai…
      Revela muito do que significava para um branco a vida de um negro naquela época e isso torna ainda mais grandioso o próprio Luiz Gama.
      abração

TemaCast © 2014-2017
Scroll Up